Um Iveco movido a Etanol: Trakker Bi-Fuel Ethanol-Diesel.

Um Iveco movido a Etanol: Trakker Bi-Fuel Ethanol-Diesel.

iveco_trakker_flex

Um protótipo do Iveco Trakker foi desenvolvido numa parceria entre a FPT Fiat Powertrain Technologies e a Bosch desde 2010, cujo veículo é movido à energia renovável com tecnologia 100% nacional. O Trakker Bi-Fuel Ethanol-Diesel é um cavalo mecânico com tração 6×4 e pode transportar até 63 t de PBTC Peso Bruto Total Combinado. O objetivo do teste é para atender inicialmente à indústria sucroenergética, na qual o etanol pode ser usado a preço de custo. , e foi submetido a testes de campo durante a safra 2011 junto com a empresa parceira Raízen. Com inovadora tecnologia bicombustível, o caminhão Bi-Fuel permite reduzir o consumo de óleo diesel pela adoção de etanol e tem o apoio da Unica União da Indústria de Cana-de-Açúcar. Equipado com dois tanques de combustível (um para etanol e outro para diesel), o Iveco Trakker Bi-Fuel utiliza um motor Cursor 9 ciclo diesel Iveco-FPT, de seis cilindros, 9.0 litros, sistema de injeção Common Rail e que entrega 360 cv e 153 kgfm de torque. As empresas (Iveco e FPT) desenvolveram o motor para funcionar com uma proporção de 60% diesel e 40% etanol. O cavalo mecânico não opera somente com etanol, tendo ainda a vantagem do caminhão de ser 100% reversível ao diesel, valorizando o seu preço de revenda. A utilização do etanol em veículos pesados é bastante natural, principalmente na aplicação para a lavoura da cana-de-açúcar. De acordo com os resultados obtidos e classificados como bastante positivo, o produto alcançou uma economia de 6% no custo do combustível por quilômetro rodado nas avaliações exigidas pela equipe de monitoramento. Outra novidade é que entre todas as tecnologias de combustíveis alternativos para caminhões em suas aplicações, o equipamento apresentou seus custos similares aos caminhões convencionais movidos a óleo diesel. Vale destacar a contribuição para o meio ambiente que essa tecnologia oferece. A taxa de compressão do motor a diesel foi mantida, e o uso do etanol não altera a curva de torque e de potência quando o motor Cursor 9 Bi-Fuel é comparado com o mesmo motor a diesel. Depois de comprimida, essa mistura ar/etanol é detonada com o próprio diesel, sem o uso de aditivo ou antidetonante, e, em seguida, é expelido normalmente. Basicamente, o que difere no funcionamento do motor Bi-Fuel para um propulsor que utiliza somente óleo diesel é que o etanol é injetado juntamente com o ar na fase de admissão, antes da etapa de compressão. Reconhecido pela boa eficiência e pelo baixo consumo, o veículo torna ainda mais econômico e competitivo para a utilização da nova tecnologia Iveco Trakker Bi-Fuel Ethanol-Diesel. (Por Helio Luiz de Oliveira, editor Mtb 69429SP, de SP – Foto: Ieco/Imprensa/MM Editorial Assessoria de Imprensa).

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s