BR-163: nova administração para novos caminhos…

A Rota do Oeste [empresa da Odebrecht TransPort] passa a ser a responsável pela concessão da BR163 que cruza o Estado do MT. Inicialmente a concessionaria atuará nas obras de duplicação e recuperação da rodovia, conforme contrato de concessão firmada no inicio do segundo trimestre de 2014. A duplicação começará pelo trecho de 22,7 km entre o perímetro urbano de Rondonópolis e o terminal multimodal de grãos da ALL América Latina Logística. A previsão é que o trecho seja concluído no início do segundo semestre de 2015 (atendendo rigorosamente as licenças ambientais de instalação emitida pelo órgão competente).Paralelamente, a Rota do Oeste já mobiliza equipes para que, em cerca de 30 dias, sejam iniciados os trabalhos de recuperação do pavimento e revitalização na rodovia dos Imigrantes, conhecida como contorno de Cuiabá, e no trecho de cerca de 80 km entre o Posto Gil e Nova Mutum. “Com esta estratégia conseguimos iniciar rapidamente a duplicação e ainda focar nos pontos em que a condição da rodovia é extremamente ruim, gerando  melhorias imediatas na fluidez e segurança. Desta forma, agimos no Sul, na Capital e no Norte” – afirmou o diretor geral da Concessionária, Paulo Lins. A Rota do Oeste assumiu a administração do trecho mato-grossense da BR163 em 12 de março de 2014, por meio de um contrato de concessão firmado com o Governo Federal, com validade de 30 anos.A reforma da BR-163 é um anseio antigo da população mato-grossense e deve impactar positivamente no desenvolvimento do país, já que é a principal responsável pelo escoamento de grãos.

br_163_cuiaba_santarem_1 br_163_cuiaba_santarem_2

Atualmente cerca de 70 mil veículos trafegam todos os dias pela rodovia [sendo cerca de 68% veículos de carga]. O MT é o maior produtor de soja, milho e algodão do Brasil.A empresa venceu também a licitação, pois ofereceu o menor valor de tarifa para o pedágio, de R$ 2,638 por eixo para cada 100 km [que representou um deságio de 52,03% em relação ao teto de R$ 5,55 estabelecida no edital].  No total, serão nove praças de pedágio que somente começará a ser cobrado quando pelo menos 10% (45,3 km) da duplicação quando concluída.A Concessionária Rota do Oeste vai também realizar a duplicação de 453,6 km, da divisa com MS até Rondonópolis, do Posto Gil a Sinop, além da Rodovia dos Imigrantes, na capital cuiabana. Com a concessão, serão gerados 3 mil empregos diretos no pico das obras e outros 500 empregos diretos na operação. As demais extensões já estão duplicadas (113,9 km) ou terão as obras executadas pelo DNIT Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes,  que ainda duplicará os outros 281,1 km [e na operacionalização completa de 850 km da concessão]. A Rota do Oeste implantará ainda um plano de segurança viária, trazendo mais segurança e conforto ao motorista que passará a contar com socorro médico e mecânico 24 horas e com uma rodovia 100% monitorada, com câmeras a cada 2 km [serviços aos usuários como ambulância, guincho leve e pesado começarão a ser oferecidos em setembro deste ano aos usuários]. O contrato também prevê a implantação de vias marginais em travessias urbanas, passarelas, trevos e outras obras de melhorias de acesso. Para a cidade de Rondonópolis, será implantando um contorno de 10,9 km. Somente nos primeiros cinco anos [prazo que a concessionária tem para concluir toda a duplicação sob sua responsabilidade, ou seja, 453,6 km], o investimento previsto é da ordem de R$ 2,8 bilhões e nos 30 anos da concessão total, será de R$ 5,5 bilhões. Por Helio L Oliveira, editor MTb 69429SP, de Cuiabá, MT – Fotos: Imprensa979/DNIT

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s